UMA ESTÓRIA DE LIBERDADE DA TERRA

Uma Estória de Liberdade da Terra


Saudações Irmãos de jornada planetária!
Venho até vocês contar uma estória de sofrimentos, desventuras, mas com um final feliz.

ERA UMA VEZ…

A muito tempo atrás, uma raça de seres muito mais avançada que a nossa, vinda de muito longe, de um planeta que em ciclos passava por entre a a Via Láctea. A Terra ainda se chamava Tiamat, existia muita água neste planeta que era irmão de Sírius (Set). Muitas culturas antigas conhecem bem esta lenda. Pois houve um choque e a amada Tiamat se dividiu em duas partes, uma se transformou em um cinturão de asteróides, formou a nossa lua e a nossa querida e amada Terra.
Devido a esta ligação, os seres que aqui chegaram se achavam nosso proprietários e “pais” e criadores. E foram assim introduzindo sua cultura dominadora e manipuladora, baseado na lei do mais forte. Eram seres que não haviam desenvolvido o sentimento a um nível de reconhecer no próximo um irmão na caminhada evolutiva. Esta cultura vigora ainda nos tempos atuais, mas está com dias contados.
A muito haviam partido os seres de Luz naquela época, pois a humanidade de então já se deixara cair nas malhas da dualidade e separatividade. Estes seres de Luz, não podiam mais encarnar na Terra devido a baixa frequência de nossos corpos em relação as suas. Nós por livre arbítrio, escolhemos o caminho da separação em relação ao nosso estado original de pureza, amor e poder divinos. Resolvemos experenciar a dualidade com toda carga de sofrimentos oriundas desta separação.
Fizemos altares, e cultuamos os seus deuses e suas leis. Absorvemos sua cultura em quase tudo, desde a alimentação, formas competitivas de agir e de pensar. Saibam que enquanto aqui estavam nosso irmãos maiores (ou nós mesmos), nem precisávamos de alimentos, vivíamos de luz, e posteriormente só de plantas.
Muitas culturas religiosas ainda se baseiam em leis dogmáticas de um Deus que pune seus filhos e dominam através do medo e da ameaça. Afastamos de nossos corações a energia do Sagrado Feminino, perdemos a intuição e seguimos como cegos o caminho de nossa lógica limitada. A inteligência muda, mas o que está por trás dela jamais dizia Santo Agostinho em suas lutas consigo mesmo.
Estes exploradores de outros planetas eram mais inteligentes que nós, mais fortes e prometiam nos cuidar. Assim entregamos o nosso poder nas mãos destes, assim como hoje ainda alguns põe o seu poder pessoal e suas esperanças nas mãos dos médicos, políticos, da mídia e da religião esperando que eles façam o que nós mesmos deveríamos fazer.
Olhemos desse modo, eles, os dominadores não eram, ou não são, maus nem bons, eles são o que são no atual nível evolutivo. E muitos de nós já passamos por suas experiências. Propuseram um jogo, um sistema e nós aceitamos.

O ESQUECIMENTO

Durante séculos, sem memória de quem éramos, de onde vínhamos e porque estávamos aqui. Passávamos muitas vidas terrenas apenas tentando sobreviver e manter o nosso corpo físico, sim porque como havíamos esquecido de nossa multidimensinalidade e do nosso Ser Superior. Tínhamos um corpo material, sucetível as mazelas da natureza e a barbarie da época. Fomos as guerras, matamos e morremos, perdemos famílias e elas nos perderam. Íamos e vínhamos cheios de esperança nos corações, onde vibrava uma chama trina de amor, sabedoria e poder, mas ao chegar aqui esquecíamos novamente e voltávamos a cometer os mesmos erros e seguir os mesmos sistemas de desordem moral e espiritual. Tínhamos um corpo e uma sociedade bárbara. O pior momento sem duvida foi a Idade Média (idade das trevas).
A ignorância não poupava nem os templos, escritura e palácios. A Verdade era deturpada de toda forma possível, nos desviando ainda mais de nosso caminho.O Sagrado Feminino foi usurpado de nós. A lógica mundana enevoou a nossa intuição. Fizeram com que apontássemos para o centro da Terra como sendo o “inferno”, onde na verdade estava o coração da Mãe Terra que nos sustenta e nos dá calor.
Hoje, em meu consultório recebo muitas pessoas ligadas a padrões comportamentais daquela época, ligadas a experiências vividas naqueles tempos, que ainda encontram guarida em suas almas.
Mas Deus Pai-mãe, na sua infinita bondade e amor por seus filhos, nunca deixou seus anjos caídos sem amparo. De tempos em tempos, sempre mandou seus abnegados, iluminados, fortes e corajosos Espíritos Elevados para nos lembrar e guiar por esta Terra de escuridão. Destes seres voluntariosos, alguns ou muitos acabarão ficando presos nas malhas da dualidade desta dimensão, sucumbiam as baixas vibrações e entravam na roda cármica (Sansara). Alguns poucos, porém, nunca se esqueceram de seus propósitos divinos e de sua natureza angelical. Eram pequenos pontos de luminosos num véu de escuridão, mas aguardavam silenciosos o momento de regressarem e esperançosos de que seus irmãos também despertassem de seus profundos pesadelos na matéria. Foram com mansidão, sabedoria e carinho deixando aqui e ali suas sementes, sempre conectados e recebendo orientações dos seus irmãos maiores, que das nuvens e a distância nos observavam esperando o momento do reencontro. O tempo prometido, onde os reinos dos céus se abririam para acolher seus filhos amados.
Entre estes escolhidos por Deus, Jesus o Divino Bom Pastor o mais iluminado e aquele que devido a sua pureza sofreu mais nas mãos dos dominadores e blasfemos. Desceu a esta dimensão da dor, para regar com o seu sangue a Terra, pois asim teria que ser, o Logos Solar fecunda a Terra para que germine e dê frutos. Ele sabia que não seria naquele tempo, mas o tempo chegaria dois mil anos depois.
Aqueles seres caídos começaram a despertar, conforme havia sido prometido.
È claro que devido ao acúmulo de energias densas o parto seria difícil e com dor. Durante muito tempo se produziu muita negatividade.
Esta Terra amada e hoje mais respeitada já deveria por várias vezes ter expurgado por completo o homem. Não fosse pela intervenção de nossos divinos Jardineiros Celestes. Podemos citar aqui os anos 50, onde a energia nuclear acabaria até com a sombra do homem, no ano de 1987 se não fosse a convergência harmônica, onde milhares de irmãos despertos aumentaram as frequências do planeta sustentando assim uma tela cósmica e evitando o fim da humanidade. Os profetas tinham razão quanto ao ano 2000, era outro momento e eles haviam visto e previsto o futuro provável da vida aqui.

A TRANSIÇÃO E A LIBERDADE

Algumas culturas que não se deixaram contaminar com as impurezas e baixas vibrações, sempre zelararam herméticamente pelos sagrados mistérios do caminho, que ao contrário do que se pregava nas religiões oficiais era interno e íntimo. De dentro, brotava a realidade vivida externamente. Aquele que nos levaria de volta para casa de Deus Pai-Mãe, nas dimensões superiores do Universo.
Acendiam suas fogueiras e olhavam para o alto, alguns para Sírius, outros para as Plêiades e outro até sonhavam com Andrômeda. Suas estórias não eram escritas, mas passadas oralmente de geração a geração, pois assim teriam a certeza que nunca apagaria da memòria de sua gente a suas reais naturezas e ancestralidades cósmicas. As fogueiras representavam a luz que nunca se apaga do coração dos homens, mesmo que eles não saibam disto.
As trombetas soaram, hoje, os Sete Arcanjos e os exércitos celestiais de anjos guiados pela Diviníssima Mãe Cósmica estão de volta a Terra. Sim e são sustentados pela tua energia de luz, tu que lê estas palavras. Pois o céus só se manifestam com o apoio da Terra. Assim como é em cima é em baixo. Ainda haverão ajustes, existem muitas coisa que ainda não estão nos padrões da Luz. Há matanças de gente e de animais sagrados, como os golfinhos, que só estão aqui para ajudar a ancorar as energias superiores. Mas a Terra não será destruída com alguns dizem, e os cinemas mostram numa tentativa de através do medo baixar nossas frequências. O medo é o avesso do amor não devemos nos esquecer disto. Todos nós ainda precisamos nos elevar mais, foi alcançado um coeficiente mínimo para sustentação das telas cósmicas desta realidade, mas o trabalho de reforma íntima continua.
Hoje já podemos nos lembrar de como realmente somos, agora precisamos Ser como realmente Somos.
O Amor venceu, a regeneração está acontecendo, devemos fazer uso cada vez mais da Luz Cósmica Violeta e guiá-la para os pontos de conflitos e áreas devastadas pelo ajuste da natureza, há ainda muito sofrimento de todos os reinos animal, vegetal e hominal.
No novo mundo, todos poderão desfrutar do contato direto e convívio com os nosso Irmãos Maiores em suas maravilhosas naves de luz. A antiga Terra se desintegra, mas a nova renasce lentamente em baixo de nossos pés numa sincronia que não existe palavras para conceitualizar pela atual humanidade.
Há aqueles que já estão na 5ª, 6ª, 7ª e 8ª dimensões mesmo estando ainda encarnados aqui, outros estão até em níveis mais elevados. A lei do Amor faz com que, os que estão mais avançados estiquem os braços ao máximo que puderem para alcançar os irmãos que estão na 4ª dimensão dos sentimentos inferiores e 3ª da dualidade. A Transição está acontecendo mas a liberdade nos mundos internos e espirituais já é realidade no agora nas dimensões sagradas de Deus Pai-Mãe.

Eu vos abençôo em nome de Jesus!
Eu Sou Flávio Miguel Awake seu irmão na Luz.
03/03/2011

Postado por Projeto Despertar 1111 às 19:29

Anúncios

Sobre Flávio Miguel Awake

PROJETO DESPERTATR 1111 -Projeto que visa auxiliar no despertar da consciência espiritual individual e coletiva, e na transição para uma nova era de luz. FLÁVIO MIGUEL AWAKE - Artes - Exposição de arte digital espiritual.
Esse post foi publicado em Artigos de Interesse, Artigos Recentes e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s